segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A teoria da escola dualista


Os franceses Roger Establet e Christian Baudelot escreveram em 1971, A escola capitalista na França sob a influência da teoria marxista.
Para Establet e Baudelot, se vivemos em uma sociedade dividida em classes, não é possível haver uma escola única. Esxistem na verdade duas escolas, diferentes quanto ao número de anos de escolaridade, aos itinerários, aos fins da educação. Duas escolas diferentes, opostas, heterogêneas, antagonistas. Chamadas de SS (secundária superior) e PP (primária profissional), correspondendo à divisão da sociedade em burguesia e proletariado.
A divisão das duas escolas não ocorre no fim da escolarização, mas desde o começo os filhos dos trabalhadores estão destinados a não atingir níveis superiores, encaminhando-se para atividades manuais. Desse modo se observa que a escola reafirma a divisão entre trabalho intelectual (rede SS) e trabalho manual (rede PP), já que nessa dicotomia repousa a possibilidade material de manutenção da estrutura capitalista. Fonte: Filosofia da Educação - Maria Lúcia de Arruda Aranha.

Um comentário: